1. Início
  2. Ecolab anuncia planos para promover a cisão de sua divisão Upstream Energy a uma empresa independente de capital aberto; espera-se EPS diluídos de US$ 1,48 no quarto trimestre de 2018, com os EPS diluídos ajustados em US$ 1,54; previsão de crescimento de 10% a 14% nos EPS ajustados para o ano de 2019

Ecolab anuncia planos para promover a cisão de sua divisão Upstream Energy a uma empresa independente de capital aberto; espera-se EPS diluídos de US$ 1,48 no quarto trimestre de 2018, com os EPS diluídos ajustados em US$ 1,54; previsão de crescimento de 10% a 14% nos EPS ajustados para o ano de 2019

- Planos para promover a cisão da divisão Upstream Energy a uma empresa independente até o meio do ano de 2020. Espera-se um aumento de 10% a 14% nos EPS diluídos ajustados para a faixa de US$ 5,80 a US$ 6,00 no ano de 2019

04 de fevereiro de 2019

ST. PAUL, Minn.--(BUSINESS WIRE)-- Ecolab Inc. anuncia planos para promover a cisão de sua divisão Upstream Energy a uma empresa independente de capital aberto. Atualmente, a divisão Upstream Energy opera dentro do segmento de energia da Ecolab e consiste no negócio de produção de produtos químicos de campo de petróleo e no negócio de perfuração WellChem, bem como no negócio de produtos químicos de completação de poços. A Ecolab planeja manter a divisão Downstream, que atende a refinarias e plantas petroquímicas. A expectativa é de que a transação de separação seja uma cisão livre de impostos para os acionistas dos EUA para os fins de imposto de renda federal dos EUA.

Após a conclusão da cisão, a empresa Upstream Energy, com vendas de aproximadamente US$ 2,4 bilhões no ano de 2018, será uma provedora global líder no mercado focada em produtos para produção de petróleo e gás, perfuração, completação e soluções de serviços, atendendo às necessidades de maximização e proteção de ativos dos clientes para as atividades onshore e offshore mesmo nos ambientes mais desafiadores.

Comentário do CEO
Douglas M. Baker, Jr., presidente e diretor executivo da Ecolab, disse "a transação de cisão proposta criará duas das melhores empresas independentes líderes em suas categorias com modelos de negócios distintos e maior foco em seus respectivos mercados. Nossa divisão Upstream Energy é líder global no seu setor com pessoas excelentes, tecnologia diferenciada e clientes que incluem os principais produtores nacionais e internacionais de petróleo e gás, bem como os provedores de serviços de energia.

"A divisão Upstream Energy é excelente, mas tem um modelo de negócios que se tornou cada vez mais diferente das outras divisões da Ecolab. Com o crescimento do setor onshore não convencional, nossos dois negócios de upstream tornaram-se mais alinhados e evoluíram de forma apropriada para tipos de empresas de produtos químicos mais especializadas, que exigem disciplinas e conhecimentos operacionais cada vez mais diferentes.

"A cisão cria uma nova empresa focada exclusivamente nos mercados de petróleo e gás upstream. Como empresa pública independente, acreditamos que a empresa terá mais foco em seus produtos e será mais atraente para os seus clientes e investidores, devido à sua forte proposta de valor, capacidade de perseguir uma estratégia de serviços de energia focada e capacidade de proporcionar um forte desempenho financeiro.

"A cisão busca melhorar ainda mais uma situação que já está boa. Nossos negócios já estão indo bem. Nosso segmento de energia cresceu tanto em vendas quanto em lucro operacional cerca de cinco por cento em 2018, apesar de um ambiente de custo de produto entregue bastante inflacionado. Nossos segmentos industrial, institucional, bem como outros também aumentaram as vendas e o lucro operacional ao longo do ano, saindo do quarto trimestre de 2018 com uma forte taxa de crescimento de vendas ajustado e melhorando o crescimento da receita operacional. Nossos ganhos diluídos por ação ajustados no quarto trimestre, que estão sujeitos à conclusão da auditoria de fim de ano, deverão aumentar em 12% para US$ 1,54.

"Como resultado de nosso bom momento, entramos em 2019 em uma ótima posição com um forte volume de vendas, melhorando os preços e as margens de lucro operacional. Isso deve resultar em um desempenho muito bom num ambiente em que esperamos um crescimento de mercado final mais lento, porém ainda sólido, e onde esperamos que os custos de produtos entregues continuem aumentando, embora em um ritmo mais moderado do que em 2018. Isso resulta numa perspectiva favorável para a Ecolab em 2019, com crescimento esperado dos ganhos diluídos por ação de 10% a 14% na faixa de US$ 5,80 a US$ 6,00. Na previsão para 2019 está o vento contrário da conversão cambial de aproximadamente US$ 0,08 por ação.

"Em um futuro após a cisão, acreditamos que ambas as empresas terão um melhor foco, o que aumentará a disciplina de execução. Com o tempo, sabemos que esses são fatores críticos para promover um crescimento sustentado. Além disso, nossa iniciativa de eficiência anunciada anteriormente tem mais vantagens nos últimos anos do que as previstas originalmente, e esperamos obter US$ 200 milhões em economia contínua para a Ecolab após a cisão, cobrindo também os custos ociosos ​​e os custos de criação de recursos corporativos relacionados com a cisão."

Divisão Upstream Energy
No ano de 2018, as vendas não auditadas da Upstream Energy devem ser de aproximadamente US$ 2,4 bilhões, com um lucro operacional não auditado esperado de aproximadamente US$ 170 milhões e EBITDA esperado de aproximadamente US$ 340 milhões. Não está incluído aqui, pois ainda não está determinado, os custos relacionados com a cisão, bem como as despesas estimadas da empresa de capital aberto de aproximadamente US$ 35 milhões. Espera-se que os custos da empresa aberta sejam compensados ​​por iniciativas de redução de custos. A produção de campos de petróleo representa aproximadamente 80% das vendas da Upstream Energy, enquanto a perfuração e o completamento dos poços perfazem aproximadamente 20% do total.

A expectativa é de que a nova empresa independente traga novas dívidas, e os rendimentos dessa nova empresa devem ser repassados à Ecolab na forma de dividendos, que podem ser usados pela Ecolab para a recompra de ações e/ou redução das dívidas. Após a conclusão da transação de cisão, o balanço patrimonial e o fluxo de caixa livre da Upstream Energy devem proporcionar ampla flexibilidade financeira e um forte perfil de crédito BB, com uma relação de aproximadamente 2 x a dívida líquida/EBITDA.

A liderança e o nome da empresa serão finalizados à medida que o processo de separação progride.

Operações da Ecolab após a cisão
A Ecolab continuará a se concentrar em suas principais plataformas, que atendem aos mercados de higiene, segurança de alimentos e água industrial, e estará bem posicionada para impulsionar as vendas e crescimento dos lucros, bem como um forte fluxo de caixa livre e retornos positivos sobre o capital. A Ecolab espera manter seus dividendos atuais e continuar a crescer no futuro. A Ecolab também espera manter os indicadores de crédito na faixa A após a cisão da Upstream Energy.

Detalhes da transação
A Ecolab prevê que a transação será na forma de distribuição aos acionistas da Ecolab de 100% das ações da Upstream Energy, como uma nova empresa independente de capital aberto, que deverá ser isenta de impostos para os acionistas dos EUA para fins de imposto de renda federal dos EUA.

A Ecolab espera que a transação esteja concluída até o meio do ano de 2020. A conclusão da transação está sujeita a certas condições habituais, incluindo, entre outras, a confirmação de que a cisão da Upstream Energy deve ser isenta de impostos para os acionistas americanos, a eficácia dos registros apropriados na U.S. Securities and Exchange Commission e a aprovação final pelo Conselho de Administração da Ecolab.

Meta da iniciativa de eficiência da Ecolab ampliada
A Ecolab também anunciou que elevou a meta de sua iniciativa de eficiência anunciada anteriormente. Os benefícios esperados da iniciativa de eficiência estão agora estimados em US$ 325 milhões em comparação com a previsão anterior da empresa de US$ 200 milhões. Espera-se que essas economias adicionais sejam geradas em 2019 com maior impacto em 2020 e 2021, quando devem cobrir os custos ociosos esperados de aproximadamente US$ 70 milhões para a Ecolab e custos de empresa aberta de US$ 35 milhões para a Upstream Energy. As ações de eficiência fazem uso principalmente de tecnologia e de melhorias estruturais para simplificar e automatizar processos e tarefas, reduzir a complexidade e as camadas de gestão, consolidar instalações e focar nas principais áreas de crescimento de longo prazo, criando uma estrutura de negócios mais enxuta, mais produtiva e mais capacitada. Agora a Ecolab espera que os encargos totais antes dos impostos relacionados com a sua iniciativa de eficiência sejam de aproximadamente de US$ 260 milhões (US$ 190 milhões após os impostos) com aproximadamente US$ 325 milhões em economia antes dos impostos até 2021, sem refletir os impactos da separação planejada da divisão Energy Upstream. As despesas, principalmente despesas em dinheiro, continuam relacionadas principalmente a reorganizações de equipes e fechamento de instalações.

Perspectiva de negócios
A perspectiva de negócios incluída neste comunicado à imprensa é para operações consolidadas da Ecolab e não reflete o impacto da separação planejada da divisão Upstream Energy.

2018
Sujeito à conclusão da auditoria anual, a Ecolab espera que os ganhos diluídos por ação do quarto trimestre de 2018 sejam de US$ 1,48; os ganhos diluídos ajustados por ação, excluindo ganhos e cobranças especiais e itens de impostos discretos, espera-se que aumentem 12% para US$ 1,54. Espera-se que os ganhos diluídos por ação no ano de 2018 sejam de US$ 5,01; os ganhos diluídos ajustados por ação devem aumentar em 12% para US$ 5,25. Os ganhos por ação reportados pela Ecolab foram de US$ 1,92 no quarto trimestre de 2017 e US$ 5,12 para o ano de 2017; os ganhos diluídos ajustados por ação foram de US$ 1,38 no quarto trimestre de 2017 e de US$ 4,68 para o ano de 2017.

A Ecolab espera anunciar os resultados finais de 2018 no dia 19 de fevereiro de 2019.

2019
A Ecolab espera um forte impulso nas vendas e lucros em 2019 com crescimento em todos os segmentos. A Ecolab espera que os ganhos diluídos ajustados de 2019 aumentem de 10% a 14% na faixa de US$ 5,80 a US$ 6,00, excluindo ganhos e despesas especiais e itens de impostos discretos.

De acordo com as taxas de câmbio atuais, esperamos que a conversão cambial tenha um impacto desfavorável de aproximadamente US$ 0,08 nos ganhos diluídos por ação no ano de 2019.

Não fornecemos reconciliações para estimativas não baseadas nos GAAP (Princípios Contábeis Geralmente Aceitos) como forma de previsão (incluindo as contidas neste comunicado) quando não podemos fornecer um cálculo significativo ou preciso nem estimativas de itens de reconciliação e as informações não estão disponíveis sem esforços excessivos. Isso se deve à dificuldade inerente de se prever o tempo e a quantidade de vários itens que ainda não ocorreram, que estão fora de nosso controle e/ou que não podem ser razoavelmente previstos, e isso afetaria os ganhos por ação reportados, que são os indicadores financeiros mais diretos e comparáveis aos GAAP de previsão dos ganhos ajustados por ação. Pelas mesmas razões, não podemos abordar a provável significância das informações indisponíveis.

O BofA Merrill Lynch está atuando como consultor financeiro da Ecolab na separação de sua divisão Upstream Energy.

Sobre a Ecolab
Um parceiro de confiança para mais de três milhões de clientes, a Ecolab é líder global em tecnologias e serviços de água, higiene e energia que protegem as pessoas e recursos vitais. Com vendas de US$ 14 bilhões e 48.000 associados, a Ecolab oferece soluções e serviços abrangentes, conhecimentos específicos e atendimento local para promover segurança alimentar, manter ambientes limpos, otimizar o uso de água e da energia, além de melhorar a eficácia operacional de clientes que atuam nos mercados de alimentos, saúde, energia, hospitalidade e industrial em mais de 170 países em todo o mundo. Para obter mais informações sobre a Ecolab acesse www.ecolab.com.

A Ecolab realizará um webcast ao vivo para analisar o anúncio de 5 de fevereiro de 2019 às 8:00 a.m. no horário do leste. O webcast estará disponível no site da Ecolab, no seguinte endereço: www.ecolab.com/investor. Uma reprodução do webcast estará disponível nesse site. Para ouvir o webcast é preciso acesso à Internet, o Windows Media Player ou outro reprodutor de mídia de streaming compatível.

Cautionary Statements Regarding Forward-Looking Information
This communication contains certain statements relating to future events and our intentions, beliefs, expectations and predictions for the future which are forward-looking statements as that term is defined in the Private Securities Litigation Reform Act of 1995. Words or phrases such as “will likely result,” “are expected to,” “will continue,” “is anticipated,” “we believe,” “we expect,” “estimate,” “project,” “may,” “will,” “intend,” “plan,” “believe,” “target,” “forecast” (including the negative or variations thereof) or similar terminology used in connection with any discussion of future plans, actions or events generally identify forward-looking statements. These forward-looking statements include, but are not limited to, statements regarding the anticipated spin-off of our Upstream Energy businesses into a new stand-alone company and the associated benefits and costs, the expected timetable for completing the transaction, the issuance of debt by the stand-alone company and the use of proceeds from such issuance by Ecolab, and the financial flexibility and business prospects of the new company, as well Ecolab’s financial and business performance and prospects, including 2018 and 2019 first quarter and full-year financial and business results, including sales and earnings growth, adjusted diluted earnings per share, volume, pricing, margins, delivered product costs, foreign currency, timing, amount and type of restructuring or efficiency initiative costs and savings from restructuring or efficiency initiative activities, free cash flow, returns on capital, dividends, and credit rating metrics. These statements are based on the current expectations of management of the company. There are a number of risks and uncertainties that could cause actual results to differ materially from the forward-looking statements included in this communication. In particular, the proposed spin-off may not be consummated within the anticipated period or at all; the 2018 financial information remains subject to audit procedures and the completion of such procedures could result in adjustments; and the ultimate results of any restructuring or efficiency initiative, integration and business improvement actions, including cost synergies, depend on a number of factors, including the development of final plans, the impact of local regulatory requirements regarding employee terminations, the time necessary to develop and implement the restructuring or efficiency initiative and other business improvement initiatives and the level of success achieved through such actions in improving competitiveness, efficiency and effectiveness.

Additional risks and uncertainties that may affect operating results and business performance are set forth under Item 1A of our most recent Form 10-K, and our other public filings with the Securities and Exchange Commission (the "SEC") and include the vitality of the markets we serve, including the impact of oil price fluctuations on the markets served by our Global Energy segment; the impact of economic factors such as the worldwide economy, capital flows, interest rates and foreign currency risk, including reduced sales and earnings in other countries resulting from the weakening of local currencies versus the U.S. dollar; our ability to execute key business initiatives, including upgrades to our information technology systems; potential information technology infrastructure failures and cybersecurity attacks; our ability to attract and retain high caliber management talent to lead our business; exposure to global economic, political and legal risks related to our international operations including trade sanctions; our ability to develop competitive advantages through innovation and to commercialize digital solutions; the costs and effects of complying with laws and regulations, including those relating to the environment and to the manufacture, storage, distribution, sale and use of our products; difficulty in procuring raw materials or fluctuations in raw material costs; pressure on operations from consolidation of customers, vendors or competitors; the occurrence of litigation or claims, including related to the Deepwater Horizon oil spill; restraints on pricing flexibility due to contractual obligations; our ability to acquire complementary businesses and to effectively integrate such businesses; changes in tax law and unanticipated tax liabilities; potential loss of deferred tax assets or increase in deferred tax liabilities; our substantial indebtedness; public health epidemics; potential losses arising from the impairment of goodwill or other assets; potential chemical spill or release; potential class action lawsuits; the loss or insolvency of a major customer or distributor; acts of war or terrorism; natural or man-made disasters; water shortages; severe weather conditions; the possibility that the proposed spin-off will not be consummated within the anticipated time period or at all, including as the result of regulatory, market or other factors, including the possibility that various closing conditions for the spin-off may not be satisfied; the potential disruption to our business in connection with the proposed spin-off; the potential that the Upstream Energy business and Ecolab do not realize all of the expected benefits of the spin-off; that the spin-off may be more difficult, time consuming or costly than expected; the failure of the spin-off to qualify for the expected tax treatment; and other uncertainties or risks reported from time to time in our reports to the SEC. In light of these risks, uncertainties, assumptions and factors, the forward-looking events discussed in this communication may not occur. We caution that undue reliance should not be placed on forward-looking statements, which speak only as of the date made. Ecolab does not undertake, and expressly disclaims, any duty to update any forward-looking statement whether as a result of new information, future events or changes in expectations, except as required by law.

Non-GAAP Financial Information
This news release and certain of the accompanying tables include financial measures that have not been calculated in accordance with accounting principles generally accepted in the U.S. (“GAAP”), including adjusted diluted earnings per share and EBITDA of the Upstream Energy business.

We provide these measures as additional information regarding our operating results. We use these non-GAAP measures internally to evaluate our performance and in making financial and operational decisions, including with respect to incentive compensation. We believe that our presentation of these measures provides investors with greater transparency with respect to our results of operations and that these measures are useful for period-to-period comparison of results.

Our non-GAAP financial measure for diluted earnings per share excludes the impact of special (gains) and charges and the impact of discrete tax items. We include items within special (gains) and charges and discrete tax items that we believe can significantly affect the period-over-period assessment of operating results and not necessarily reflect costs associated with historical trends and future results. After tax special (gains) and charges are derived by applying the applicable local jurisdictional tax rate to the corresponding pre-tax special (gains) and charges.

EBITDA of the Upstream Energy business is defined as the sum of operating income, depreciation and amortization expense plus an allocated portion of Ecolab’s consolidated “Other Income/Expense”. We use operating income to evaluate our segment performance and do not attribute interest expense special gains and charges or taxes below our consolidated entity. We provide EBITDA of the Upstream Energy business as a performance measure because we believe it provides investors with the ability to assess its operating performance and return and invested capital as compared to those of other companies in the energy sector without regards to financing methods and capital structure. All of the Upstream Energy financial information is unaudited and subject to final adjustments as we prepare the carve-out financial statements associated with the spin-off. These non-GAAP financial measures are not in accordance with, or an alternative to, GAAP and may be different from non-GAAP measures used by other companies. Investors should not rely on any single financial measure when evaluating our business. We recommend that investors view these measures in conjunction with the GAAP measures included in this news release.

The tables below provide supplemental non-GAAP reconciliations:

 
($ billions, except per share)

Diluted Earnings per Share Attributable to Ecolab ("Diluted EPS")

  Fourth Quarter ended         Full Year ended
(2018 Unaudited) December 31 December 31
2018   2017 2018 2017
Diluted EPS (U.S. GAAP) $1.48 $1.92 $5.01 $5.12
Adjustments:
Special (gains) and charges 0.05 0.01 0.35 0.19
Discrete tax expense (benefits) 0.01   (0.54 ) (0.11 ) (0.63 )
Adjusted Diluted EPS (Non-GAAP) $1.54   $1.38   $5.25   $4.68  
 
Upstream Energy EBITDA
(Estimated and unaudited, $ in billions) Full Year ended

December 31, 2018*

Upstream Energy Operating Income

 

$0.17

Other Income/(Expense)

 

 0.01

Depreciation

 

 0.09

Amortization

 

 0.08

   
EBITDA

 

$0.34

   
*Amounts do not sum due to rounding
 

(ECL-C)

Ecolab Inc.
Michael J. Monahan (651) 250-2809
Andrew C. Hedberg (651) 250-2185

CONTATOS DE MÍDIA

BRASIL
Carolina Simonetti
Gerente de Comunicações, Brasil
Telefone: +55 11 2134 2649 ou por e-mail

Valeria Prado
Diretora de Comunicações, América Latina
Telefone: +1 954 436 2668 ou por e-mail

Roman Blahoski
Diretor de Comunicações Globais

Mesa Denny
Diretor de Comunicações Globais

Telefone: +1 651 250 4724 ou por e-mail

Kate Askew
Diretora de Comunicações Corporativas
Telefone: +41 78 655 3005 ou por e-mail

Para assuntos não relacionados à mídia,
ligue para +41 44 877 2000

Naazi Feizi
Diretor de Comunicações, chefe regional para Oriente Médio e África
Telefone: +971 4 8146961 ou por e-mail

Para assuntos não relacionados à mídia,
ligue para +41 44 877 2000

Jacqui Daws
Gerente de Comunicações
Telefone: +65 9295 1026 ou por e-mail

Para assuntos não relacionados à mídia,
ligue para +86 21 6237 1000

Doris Qian
Gerente de Comunicações Corporativas
Telefone: +8621 6183 2465 ou por e-mail

Para assuntos não relacionados à mídia,
ligue para +8621 6183 2500

MÍDIA SOCIAL