Um desinfetante à base de quaternário de amônio pode receber uma declaração de esporicida?

Requisitos para registro de esporicida

Grade A&B Cleaning Spray and Wipe

Requisitos para registro de esporicida

Os esporicidas são usados em superfícies e objetos inanimados, duros e não porosos para matar esporos. Os esporos bacterianos são considerados a forma de vida microbiana mais difícil de destruir.

A EPA dos EUA exige a geração de dados de eficácia sob condições de teste controladas para declarar que produtos antimicrobianos são esporicidas. Para gerar dados de eficácia esporicida, o método oficial 966.04 Atividade esporicida de desinfetantes da Association of Official Analytical Chemists (AOAC) deve ser seguido. Adicionar uma declaração de eficácia esporicida em superfícies duras e não porosas a um produto líquido envolve a exposição de 60 portadores de penicilindros de aço inoxidável inoculados com esporos de Bacillus subtilis (ATCC 19659) e Clostridium sporogenes (ATCC 3584) ao esporicida. Três lotes do produto no limite inferior certificado (LCL) dos ingredientes ativos (A.I.) listados na declaração confidencial da fórmula (CSF) do produto devem ser testados. Além desse requisito, um esporicida também deve demonstrar ausência de crescimento (eliminação completa) em 60 portadores (30 portadores por organismo para uma batelada) em um teste de verificação. Os testes de verificação devem ser realizados em um laboratório separado ou com uma nova equipe.

Na Europa, os fabricantes realizam testes de suspensão de acordo com o método EN13704 para declarar atividade esporicida. Para fazer uma declaração de esporicida, uma redução > 3 log de Bacillus subtilis (ATCC 6633) deve ser alcançada com um tempo de contato menor ou igual a 60 minutos.

A versão mais atualizada da norma EN13704 foi publicada em 2018 com uma série de alterações em relação à versão anterior, publicada em 2002, incluindo alterações relacionadas à preparação de esporos e a verificações de suscetibilidade de organismos de teste. 

A preparação de esporos na EN13704 requer que 80% das células vegetativas esporulem e a AOAC 966.04 requer que 95% das células vegetativas esporulem.  Uma vez que a suspensão de esporos é feita, a norma EN13704 exige um teste de suscetibilidade para verificar o desempenho da suspensão de esporos em relação a dois biocidas padrão, glutaraldeído e ácido peracético. Os testes usam duas dosagens por biocida, concentrações altas e baixas. Para atender aos critérios de aceitação da EN13704, a suspensão de esporos deve demonstrar sobrevivência (redução < 3 log) na concentração baixa e matar (redução > 3 log) na concentração alta. A AOAC966.04 exige um teste de resistência ao ácido clorídrico (HCI) para verificar o desempenho da suspensão de esporos em relação a um padrão HCI 2,5 M. Para atender aos critérios de aceitação da AOAC966.04, os esporos devem resistir a HCI 2,5 M por um período superior ou igual a 2 minutos.

O uso de suspensões de esporos no teste esporicida AOAC e a preparação cuidadosa e o uso de suspensões de esporos no EN13704 garantem que os produtos que se declarem esporicidas sejam adequadamente desafiados durante o teste de eficácia.

Eficácia esporicida do composto de quaternário de amônio

Os compostos de quaternário de amônio (QACs) são agentes surfactantes catiônicos e têm ação ampla contra microrganismos, embora sejam geralmente mais eficazes contra bactérias gram-positivas em concentrações mais baixas do que contra bactérias gram-negativas. Eles são consideravelmente menos eficazes contra os formadores de esporos3

Muitos biocidas são bactericidas ou bacteriostáticos em baixas concentrações contra bactérias não esporulantes, incluindo as células vegetativas das espécies Bacillus e Clostridium. Altas concentrações de alguns biocidas podem atingir eficácia esporicida (por exemplo, glutaraldeído e ligas resistentes à corrosão, ou CRAs, na sigla em inglês). 

Por outro lado, mesmo as altas concentrações de álcool, fenólicos, QACs e clorexidina não apresentam efeito esporicida (embora a eficácia esporicida possa ser possível para a clorexidina quando usada em temperaturas elevadas)4

Os QACs são esporostáticos – eles inibem o crescimento de esporos (o desenvolvimento de uma célula vegetativa a partir de um esporo germinado), mas não os processos de germinação em si (desenvolvimento da dormência para um estado metabolicamente ativo)2.

É provável que os QACs demonstrem algum grau de eficácia contra células vegetativas das espécies Bacillus e Clostridium. No entanto, não são capazes de destruir os esporos especificamente.

As declarações de esporicida exigem que testes sejam realizados contra esporos, não contra células vegetativas. Para manter o controle dentro do ambiente de sala limpa, devem ser empregados agentes biocidas com ação esporicida especificamente contra os esporos.


[1] McDonnell, G, Russell AD. Antiseptic and Disinfectant: Activity, Action and Resistance. Clin Micrbiol. jan de 1999; 12(1):147-179.
[2] Russell AD. Bacterial spores and chemical sporicidal agents. Clin Microbiol Rev. abr. de 1990; 3(2):99-119.
[3] Sandle, T. The CDC Handbook: A Guide to Cleaning & Disinfecting Cleanrooms. 1–27.
[4] Shaker L A, Russell A D, Furr J R. Aspects of the action of chlorhexidine on bacterial spores. Int J Pharm. 1986;34:51-56.

 

Ecolab Life Sciences logo

Life Sciences

A divisão Life Sciences da Ecolab dedica-se ao desenvolvimento dos melhores produtos e serviços possíveis para apoiar nossos clientes da indústria farmacêutica e de cuidados pessoais.

Artigos relacionados